Cosméticos também têm glúten

Alguns produtos de beleza e higiene (e até medicamentos) levam essa proteína em sua composição e podem prejudicar celíacos


Que tem glúten em muitas das massas que comemos é algo que (quase) todo mundo já sabe. Mas alguém desconfia de que essa proteína também esteja presente em cosméticos, produtos de higiene pessoal até nos remédios que tomamos? É isso mesmo: batons, hidratantes e até suplementos alimentares são outros produtos que os celíacos devem investigar a fundo antes de usar, pois a presença do glúten pode desencadear uma resposta do seu sistema imunológico.

Nos cosméticos, por exemplo, o glúten é usado como emulsificante ou estabilizante.

O problema é que, ao contrário do que acontece com os alimentos, cosméticos e remédios não são obrigados a fornecer, nas embalagens, a informação “contém glúten”. Para piorar, muitos dos ingredientes que constam nos rótulos de produtos de higiene e beleza estão escritos em inglês (confira alguns no quadro abaixo).

O problema é que cosméticos e remédios não são obrigados a fornecer, nas embalagens, a informação “contém glúten”

Por isso, muitos celíacos podem estar entrando em contato com o glúten mesmo sem saber. “Usar cosméticos ou suplementos alimentares que contenham glúten prejudica até a reação ao tratamento médico de quem tem intolerância ou alergia”, alerta o gastroenterologista Ricardo Barbuti, secretário-geral da Federação Brasileira de Gastroenterologia e chefe do ambulatório de gastroenterologia clínica do Hospital das Clínicas, em São Paulo (SP).

Por isso é essencial sempre ler a bula dos remédios, onde estão descritos todos os componentes da fórmula. “No caso dos cosméticos, em muitos casos é preciso ligar para o fabricante para descobrir se eles contêm glúten”, afirma Barbuti.

Fontes: Gluten Free Society e Rio Sem Glúten

Perguntas e respostas